[ editar artigo]

Inovação e gestão do conhecimento

Inovação e gestão do conhecimento

A inovação quando não existe ela de maneira estruturada ela começa com pequenas ações.

No universo do empreendedorismo tanto dentro das startups e grandes corporações, vemos o conceito de inovação meio obscuro, e muitos não sabem definir certamente o que é inovação. Como fazer e como gerar resultados através dela. A inovação é um ato simples, que é necessário o desenvolvimento dela dia a dia. 

O mais importante é encontrar o percurso caminhado pela inovação e adquirir conhecimentos para alimentar a maneira com que trabalha, e os hábitos de seus funcionários. 

Na gestão do conhecimento, um de seus pilares mais importantes é a comunicação, para gerir gestão e informação. Algumas corporações promovem treinamentos internos para fazer uma boa gestão do conhecimento, garantindo um benefício muito significativo ao trazerem o conhecimento de diferentes áreas e desenvolverem atividades específicas da área em que cada pessoa atua. Instigar a obtenção de conhecimento também passa a ser uma necessidade quando temos um ambiente mais aberto.

O primeiro passo para uma boa gestão do conhecimento é ter a comunicação e utilizá-la de forma aberta. O segundo passo é criar programas de incentivos de distribuição de resultados, para acompanhar o rendimento de cada funcionário e, dentro do possível, criar uma base de conhecimento.

Para que seja um sucesso essa iniciativa é preciso que todos dentro da empresa façam a disrupção de seus mundos dentro da corporação e vivam conectados a tudo em seu redor.

Aceitando o erro para alcançar à inovação

Diversos povos têm maneiras diferentes de encarar o erro dentro da sua cultura, que influencia a maneira com que cada pessoa aceita o erro e trabalha em cima dele. Muitas vezes a cultura que temos no Brasil de não aceitar o erro e se martirizar, nos impede de mergulhar de vez nos mares da inovação. 

Alguns países como os asiáticos têm o entendimento de que o erro é parte do processo, mas possuem uma metodologia sistemática para encontrar esse erro, o que é preciso fazer para não cometê-lo novamente e como podem aprender e extrair o melhor desse erro.

Existem alguns pontos que podem contribuir com esse processo de aceitação, um deles é partilhar de uma da boa comunicação,  permitindo que as pessoas possam fazer, errar e determinar o intuito do erro. Mas não se engane, não vai adiantar do dia para noite liberar o erro para todos dentro da empresa, não dará certo! É necessário que essa cultura seja aprimorada pouco a pouco.

O primeiro aspecto que corresponde a uma mudança é o de abertura de delegação, não precisa ser geral e restrito, pode ser por etapas, por setores e níveis de responsabilidade. 

“Trazer gente que vive essa realidade, o mundo e o Brasil estão cheios de ecossistemas de inovação” Diz: Jefferson Nesello. Co-Founder & Sócio-Diretor na Zaxo M&A Partners.

Qual o motivo de grandes empresas não aceitar ainda a inovação 

Tem muito a ver com a nossa natureza humana. Não gostamos de mudar e criamos raízes que às vezes são dolorosas de se cortar, tem a ver também com a dor de se questionar, de pensar diferente e se deslocar do comodismo. 

Em outros termos, o medo de mexer em time que está ganhando.

O mercado está cheio de grandes corporações que observam seus lucros de seu produto no mercado, e se prendem a esses valores, junto com o medo de testar algo que não seja bem recebido, as impede de inovar. 

Provavelmente nos próximos 10 anos elas não viverão da mesma forma que viverão todos esses anos, por toda essa mudança de mindset no cenário mundial, para acompanhar essa nova era só será possível inovando.  

O maior problema que as empresas encontram ao inovar, é saber o que é inovação, como se faz ela, e quanto custa! A inovação começa de dentro para fora, estimulando as pessoas e eliminando o falso paradigma de que se precisa de grandes investimentos para inovar.

“A inovação pode ser simples, barata e funcional” Comenta:  Jefferson Nesello. Co-Founder & Sócio-Diretor na Zaxo M&A Partners.

 

“Por que você inova? Se for pelo modismo de todos estarem seguindo esse caminho, não é inovar! Quem conta se somos inovadores ou não é o mercado e o cliente.” Acrescenta: Kauna Yrina – CEO Condor Connect. 

Ao pensar no futuro, para nosso país o único caminho é empreender, pois o espaço para florescer novas ideias está cada vez mais aberto e acessível. Não que seja fácil empreender, mas o primeiro passo é pensar nas dores que o mercado e cliente tem para solucioná-las com práticas inovadoras.

O lucro virá posteriormente. 

Acompanhe nosso bate-papo completo:

RIC Mais

Condor Connect
Condor Connect
Condor Connect Seguir

Condor Connect é uma aceleradora de Startups e de Pessoas

Ler conteúdo completo
Indicados para você