[ editar artigo]

A importância dos ecossistemas de inovação na jornada das startups

A importância dos ecossistemas de inovação na jornada das startups

Sem inovação não dá! Desde seu momento de criação até seu crescimento ao longo da jornada, as startups vivem grandes inovações em seu dia a dia. 

Estar dentro de grandes inovações é o que as startups querem, precisam e correm atrás. Não só por necessidade, mas por ser o melhor caminho para encontrar soluções e respostas para as dores da sociedade.

Uma startup nasce com propósitos que variam de acordo com a intenção que o empreendedor tem em relação ao mercado. Se podemos ditar um propósito que todas elas têm em comum, e se não tiver, obviamente estão errando feio, é o de solucionar uma necessidade ou deficiência que aquele segmento do mercado apresenta.

Então, utilizando da inovação desenvolvem essa solução para que venha a ser viável, direta e que esteja em ação no mercado em pouco tempo. Após o surgimento dessa solução, a startup se torna atrativa para os investidores,  que avaliam se o problema elas vão solucionar é um interessante negócio.

Para as startups a importância dos ecossistemas de inovação é primordial. Elas não sobrevivem no mercado sem promover inovações significativas e, com isso, os agentes que impulsionam a inovação em uma startup são responsáveis pelo alto desempenho, crescimento exponencial e impacto no mercado.

Dois desses agentes são as incubadoras e aceleradoras de startups, que além de auxiliá-las em seus momentos mais complicados, direcionam elas no caminho da inovação.

A jornada de uma startup 

Elas nascem na incerteza, caminham na obscuridade e se desenvolvem em um mar de tribulações.

O início de uma startup é sempre sujeito a grandes emoções. Uma boa parte delas é negativa e trará dores de cabeça. Contudo, são nesses momentos em que analisamos se aquela empresa tem potencial para se manter no mercado e conquistá-lo.

É um desafio, e vai perdurar o empreendedor que sustentar a ideia acima de todos os erros e barreiras impostas em sua frente. Já que falamos em ideias, é importante ressaltar que uma startup de sucesso surge primeiro com a intenção de corresponder uma dor do mercado, e sucessivamente a ideia surge como uma resolução dessa dificuldade prevista.

Logo após, é a hora de rodar o MVP! Em inglês, Minimum Viable Product ou para nós, é o produto mínimo viável. Nada mais é do que a construção de uma versão mais simples e resumida de sua ideia, barata e rápida também.

Nele é aplicado o mínimo possível de recursos e acaba sendo um dos momentos cruciais para a continuidade desse projeto. No MVP, é o momento de errar, aprender e desaprender com o produto. Com um bom MVP em mãos, não será tão árduo encontrar possíveis investidores.

Fundador e CEO da startup CondoConta, Rodrigo Della Rocca aponta que as startups avançam em um rumo promissor por conta de todas suas metodologias ágeis.

 É fazendo com rapidez, e é por isso que a gente vê as startups cada vez mais acontecendo em pouco tempo, atingindo o país e o mundo inteiro. Rodrigo Della Rocca – Fundador e CEO CondoConta

E para os empreendedores que se iniciam no mercado com as ideias em mãos, Rodrigo completa:

Comece pequeno, de os primeiros passos e as coisas irão se desenrolando no caminho- Rodrigo Della Rocca

Em uma startup o MVP é essencial para aceitabilidade de erros, já em uma empresa tradicional, o erro as vezes é inadmissível  

Em uma empresa tradicional o erro tem um desafio, devido muitas vezes ao tamanho do impacto daquele erro dentro do ecossistema todo da empresa. Se a empresa tem 2 milhões de clientes e esse erro modifica o comportamento para estes, terão um impacto negativo. Felipe Boff – CEO Domo Inovação.

Com isso, em uma empresa tradicional é permitido que o erro aconteça, mas em proporções menores. Quando a empresa é vasta, levamos em conta a implementação de uma inovação em uma parcela pequena da empresa, não nela toda.

Primeiro é testado com o mínimo de clientes possíveis, mas que possam agregar positivamente com seu contato com o produto. Assim, menores impactos são causados se acaso aquela inovação venha a dar errado, acarretando o menor déficit possível para a empresa.

Em vista do que já vimos no passado, é um grande passo dado pelas empresas tradicionais para encontrarem a inovação. Pois o erro é um açoitador de ideias, e quando não o trabalhamos da melhor forma, acabamos nos rendendo a práticas tradicionais antiquadas em comparação a agilidade e aceleração em que o empreendedorismo vive.

Aceite o erro, mas não permita erros banais, erre, mas com a consciência de quais ações tomar para transformar esse erro em acerto. E o mais importante, erre, mas erre rápido! Assim, poderá extrair os melhores caminhos de um projeto que às vezes é visto como um fracasso por erros cometidos.

Quer saber mais? Acompanhe nosso bate-papo completo, é só clicar:

Está idealizando sua startup ou quer acelerar seu crescimento, entre em contato com a aceleradora Condor Connect através do e-mail oi@condorconnect.com.br. Aqui seus projetos e ideias são avaliados por especialistas de mercado, e você pode fazer parte do programa de mentoria para sua startup. Não perca a chance de fazer acontecer!

ND Mais

Condor Connect
Condor Connect
Condor Connect Seguir

Condor Connect é uma aceleradora de Startups e de Pessoas

Ler conteúdo completo
Indicados para você