[ editar artigo]

Aos poucos vamos descobrindo: A fuga da responsabilidade

Aos poucos vamos descobrindo: A fuga da responsabilidade

Quando começamos empreender e ainda não temos muita experiência achamos que este é o mundo perfeito, mas aos poucos vamos descobrindo que não é bem por aí. Conforme os dias vão passando vamos entendendo que nem tudo é só flores e que apenas gostar do que fazemos não é garantia suficiente para fazer o sucesso acontecer.


À medida em que vamos conhecendo mais de perto a operação e vamos identificando e nos identificando, descobrimos o que gostamos e o que não gostamos, e é aí que aquela palavrinha “skill” começa a fazer parte do nosso dia a dia. Habilidades que nos faltam, coisas que precisamos melhorar. E como qualquer pessoa normal, vamos postergamos as atividades que não temos muita habilidade, pois elas se tornam difíceis e cansativas.

A parte crítica de não ter afinidade com alguma coisa é que justamente essa mesma coisa vai ficando para depois, e pode ser que esse depois reflita nos resultados do negócio. 

E é aí que mora o perigo, porque só percebemos que isso acontece depois de algum tempo e nem sempre esse tempo joga a nosso favor; e nem poderia, porque não fizemos a nossa parte. 
Quando identificado este momento, precisamos ter consciência do que significa e sermos muito sinceros conosco mesmos. Tenha em mente que não precisamos gostar de tudo e nem entender de tudo, mas precisamos ter pessoas por perto melhores do que nós e que entendam. Não caiam na ilusão de achar que podem dar conta de tudo sozinhos.
Aqui vale a sugestão: está na hora de pensar em parceria, sociedade e até mesmo um colaborador. O que não vale é assumir a responsabilidade da boca para fora e depois deixar os resultados na mão, por puro orgulho ou prepotência.
Porque sem querer começamos a falhar até com o que gostamos, apenas por não saber administrar o que está rolando. 
Normalmente essa etapa manifesta-se disfarçadamente com alguns sintomas, veja se você já passou por eles ou se ainda está passando:
    1.    Qualquer outra coisa é mais importante do que aquilo que precisa ser resolvido; 
    2.    Um resfriado pode durar 3 meses;
    3.    Antes de assumir essa responsabilidade, prepara para qualquer outra, justificando que ainda não é hora;
    4.    Nunca se sente preparado o suficiente;
    5.    Vai trocando sucessivamente de desculpas, é o filho, depois o cachorro, depois o carro...;
    6.    Nunca dá tempo;
    7.    Falta dinheiro; e por aí vai... 


Eu já vi empreendedores pularem de ideia em ideia por medo não assumir a sua falta de habilidade em alguma coisa. Já vi também negócios pararem na parte chata, já ouvi tantas desculpas viáveis para justificar.
Se você identificar que isso pode estar acontecendo com você, respire fundo, pense um pouco, se permita uma semana de reflexão e recomece..., mas nunca pare, sempre continue. 
Existem muitas barreiras no caminho do empreendedor, as comportamentais e as técnicas, e algumas vezes elas se misturam, mas se soubermos identificar ainda dá tempo de pivotar, dar um passo atrás, se preparar e depois avançar e sempre avançar!

Veja a matéria também no portal da Band! 

https://bandparana.com.br/a-fuga-da-responsabilidade-a-necessidade-de-uma-desculpa-viavel/

Labiie

Condor Connect
Kauana Vissotto
Kauana Vissotto Seguir

Atuo como mentora e investidora de startups. CEO e founder do Condor Connect e do Labiie - Lab de Inovação em inteligencia empreendedora Professora formadora da UFPR e co-autora em alguns livros. 41999967003/kauana@condorconnect.com.br

Ler conteúdo completo
Indicados para você