[ editar artigo]

Como utilizar Big Data no varejo?

Como utilizar Big Data no varejo?

O uso intensivo de dados (Big Data) tem sido uma das principais características dos negócios. Estamos vivendo uma era de transformações na qual “conhecer seu cliente” vai muito além de saber o que seu cliente compra. É preciso conhecer mais a fundo seu comportamento.

É crescente a quantidade de empresas que tem manipulado informações de seus clientes e a tendência é que isto aumente a cada dia, afinal consumidores passaram a se relacionar com as empresas por diversos pontos de contato, o que abre oportunidades para que as informações sobre o seu comportamento possam ser registradas.

A Big Data possibilita a elaboração de vários insights importantes para os varejistas. Mais do que em qualquer outro mercado, talvez o varejo seja aquele no qual os dados sejam uma ferramenta essencial, devido às margens de entrega estreitas e aos prazos apertado, pois estamos falando de itens de consumo rápido, com prazos de validade curto.

Utilizando múltiplas fontes de dados, que evoluem de acordo com o comportamento dos consumidores, os algoritmos fornecem aos varejistas meios possíveis para avaliar as tendências do mercado, analisar e melhorar o relacionamento das marcas com o público, possibilitando melhores respostas na demanda.

Benefícios da utilização de Big Data no varejo:

Fidelizar clientes e atrair público alvo:
Coletar e processar dados reais para conhecer melhor os clientes e o público-alvo com o objetivo de desenvolver estratégias de negócios altamente assertivas para conquistar ou fidelizar. Também é possível melhorar o funil de vendas, diminuir as taxas de churn, realizar mudanças pontuais em produtos e serviços e oferecer um atendimento muito mais satisfatório;

Previsão da demanda
Definir, com grau elevado de assertividade sobre o sortimento e quantidade de produtos em cada loja, a partir da análise do comportamento de consumo e de tendências macroeconômicas, meteorológicas e sazonais;

Otimizar os preços
Auxiliar o rastreamento de transações, concorrentes, custos e outras variáveis, a fim de identificar padrões que podem indicar o caminho para mais lucros.
Em conjunto com a previsão de demanda, as análises estatísticas destes dados podem minimizar ou até eliminar a necessidade de saldões de fim de temporada para se livrar do estoque;

Antecipar demandas com precisão
Mapear a procura por um determinado bem a fim de atender a uma tendência. Desenvolver estratégias de estocagem mais precisas.

Monitoramento de indicadores
Criar e monitorar uma série de indicadores-chave do negócio (KPIs) e deixá-los visíveis para todos em uma organização, direcionando todas as áreas para um mesmo foco. Entender o que acontece na concorrência e, com isso, obter novos insights para melhorar sua própria operação.

Reação rápida às mudanças do mercado
Identificar e corrigir rapidamente previsões e planejamentos que não coincidirem com a realidade. Isso acontece porque o uso da tecnologia no varejo permite medir o andamento das operações em tempo real;

Alocação de recursos
Utilizar de forma eficiente os recursos operacionais e ajustar os processos da companhia;

Podemos concluir que os dados estão se tornando ferramentas essenciais para o desenvolvimento de operações lucrativas e eficientes no varejo. Portanto, o Big Data no varejo não é uma moda passageira, mas sim de um novo jeito de fazer negócios. Sem ele, nenhuma empresa estará preparada para a sobrevivência no futuro dos negócios.

Condor Connect
ZUPA Pesquisas de Mercado
ZUPA Pesquisas de Mercado Seguir

Business Intelligence para o Varejo FMCG (Fast-Moving Consumer Goods – itens de consumo rápido) Contato - Diego Willrich: (41) 99116-5595 // wrich@hotmail.com

Ler conteúdo completo
Indicados para você